Somos todos iguais

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um tempo atrás, lancei uma questão no grupo de e-mails do Massa Crítica. O tema era “eu já vi no trânsito”. Um dos participantes da lista respondeu dizendo que certa ocasião, ao pedir espaço na via com sua bicicleta, recebeu hostilidade por parte de um motorista. Dentre outras coisas, ele ouviu um sonoro “é por isso que tu anda de bicicleta”. Anteontem, levei uma fechada proposital ao fazer uma conversão à esquerda. Vi que era proposital pois pude ver no olho do motorista através do retrovisor. Na ira do momento, fruto do susto e da frustração, pensei em discutir no próximo sinal. Mas veio aquele NÃO interno e, ao passar pelo mesmo motorista (que já me esperava observando pelo espelho)  mostrei desprezo. No quilômetro seguinte canalizei o pensamento que se transformou na ideia para esta postagem.

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Reflexão e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s